O Patrocínio De Deus << voltar
autor: Emmanuel publicação: 08/08/2001
artigo: O Patrocínio De Deus

Realizar, prestar serviço, crescer intimamente, trazer-se sob intensas manifestações de luz, ampliar sentimentos e liberar as essências acumuladas desde o surgimento das almas: patrocínio de Deus às criações.

Viver seduzido pelos vícios, atrair falsidades, reter egoísmo, distender orgulho, ornar-se na vaidade, temperar-se nas excentricidades, distorcer-se em esbanjamentos do corpo e do Espírito, falseando sentidos e moral: tristeza e lamentos divinos de quem nos observa.

Nos dois ângulos em que somos observados e nas intemperanças em que nos trazemos, tentar ocultar algo do Pai e do Mestre será infantilidade daqueles que se vêem como deuses na Terra sem perceber a sua pequenez e fraqueza.

Enrijecer os músculos, embelezar o físico, acordar somente para a vida material, inverter códigos divinos e sentimentos nobres, sombrear-se nas ditaduras momentâneas, usurpando e dilacerando: constituições flageladas a serem manifestadas nos corpos fluídicos.

Onerar-se em caridade, ampliar-se em amor, doar-se em obséquios, pautar-se em verdades, ser e não cobrar, amar e distribuir, agasalhar e orar: momentos de alastramento do corpo espiritual, objetivos divinos para todos nós.

Diante destas tantas aspirações que o Pai nos envia, diante das tantas e múltiplas possibilidades de crescer, diante da espera silenciosa e amorosa, amigos, que fazemos nós? Que esperamos? Por que ainda as inverdades e inadimplências em que nos ornamos? Seremos nós tão obliterados e teimosos que não estamos vendo o poder que nos abraça? Seremos nós tão pequenos que ainda nos franqueamos em teimosia em tentativas de ultrapassar as razões divinas nos impondo, personalísticamente a elas?

Essas argüições, se feitas intimamente e apuradas, não nos ilustrarão positivamente nossos reflexos espirituais, e sim nos revelarão porque aqui ainda estamos nestes testes e rigores encarnacionistas.

O patrocínio que Deus nos fornece é amplo e irrestrito, dependendo de nós tirarmos proveito e lucro, sabendo que todo o produto recolhido por nós a cada vida não nos será cobrado, mas sim, virá por acréscimos meritórios às nossas próprias almas, em mais uma demonstração da obra dadivosa do Criador.

O que queremos mais, irmãos?


Psicografado em 08 de agosto de 2001
Pelo Espírito Emmanuel

Busca Por Texto
Arquivo