Ao Cristo Redivivo << voltar
autor: não informado publicação: 01/01/2018
artigo: Ao Cristo Redivivo

Irmãos, tudo que nosso Mestre passou e demonstrou veio aquilatado para que fossem despertados em nós, em toda a humanidade, os valores principais necessários a um ser humano. O Mestre, Que nos foi trazido, caminhou durante anos por terras lamacentas e duras, por caminhos tristes e difíceis, mas Sua luz, Sua fala amiga e abrangente tocou a todos, disseminando entre as criaturas a fé, a religiosidade maior, a firmeza em cada ato de bondade e em cada atitude sincera e pura.

Sua missão era alcançar a todos: os incautos, os falsos profetas, os orgulhosos e incestuosos aureolados do poder, a todos que precisavam ouvir um chamado maior, a todos aqueles que menosprezavam as forças do bem, as virtudes honestas e as belezas de uma criatura pura e simples.

As lutas, as guerras e as vitórias tornavam as terras e os homens verdadeiros selvagens e ambiciosos em conquistas, atrasando as suas visões humanísticas e sensíveis.

O efêmero, o vislumbre de riquezas e ostentações conduziam as criaturas a postos e lugares que lhes enalteciam a vaidade e o poder.

Nada mais era feito visando à sinceridade de atitudes, à correção e à honestidade. A bravura nas lutas e nas matanças gloriosas era enaltecida através de ganhos e prêmios conquistados por sacrifícios de outros.

Houve, entre seus irmãos, criaturas lançadas a sofrimentos, trazidas à cena para enaltecer e abastecer apetites ensandecidos em selvagens homenagens e espetáculos de verdadeiro terror e desumanidade.

Cruel e perseguida foi Sua vida, embora trazida de forma tão acolhedora e enaltecida por Seus fiéis seguidores. Passo a passo, manteve-Se leal a Seu Criador, enaltecendo-O, atraindo a Si e envolvendo em Suas luzes um povo maltratado, endurecido e pisoteado em seus direitos.

Suas afirmativas e demonstrações de altruísmo O reverteram em “O Rei dos Reis”, atraindo milhares e milhares de almas, de irmãos amigos, de seres maravilhados, diante de tão grande magnitude, de sublime elevação e de tantas realizações.

A fé brotou nas criaturas, a fé em um Deus Maior, a fé Naquele homem que se chamava Jesus, Naquele Ser abençoado e cumulado de forças e energias que transportava, por palavras e gestos, um poder maior, capaz de trazer à tona seres já considerados perdidos.

Sua fé, Sua luz maior inundaram terras, cidades e criaturas; lançou multidões à força de Suas orações e no conhecimento de preceitos elevados, fazendo dos seres humanos almas revestidas de mais sensibilidade e crença.

Amante do bem e das palavras acolhedoras, transformou enrijecidos soldados em fiéis colaboradores, desdobrou e transformou criaturas perdidas em fortes seres que O apoiaram e contribuíram em Seus trabalhos e em Seu caminhar.

Nada que fez se perdeu ou ficou esquecido. Nada que lançou-se tornou obsoleto. Tudo se confirmou, contribuindo cada vez mais para que a humanidade abrisse os olhos e aprendesse que o Filho Maior, enviado à Terra, tinha vindo para confirmar entre os homens a presença do Pai, a certeza de que existe um grande e bondoso Criador e que precisamos crer Nele e em Suas criações, para que consigamos ser Sua continuidade.

Cada momento vivido, cada sofrimento sentido, cada dor ou lágrima, cada gota de Seu sangue se projetou e se projetará em toda a humanidade por muitos e muitos séculos, pois Sua presença foi muito forte, imprimindo tanta beleza e abertura a nossos dias, que nos cumularão para todo o sempre. Somos gratos a Deus, Nosso Pai, por ter-nos mandado um Amigo Maior, um Consolador para Seus filhos pequeninos e impuros.

Nada que foi lançado se perdeu.

Nada que foi demonstrado se anulou.

Tudo que vimos e soubemos não foi dilacerado.

Tudo que nos trouxe, tudo que nos premiou foi pela luz maior de Sua compreensão, imenso amor e desprendimento.

A Deus, a Jesus, por todos os séculos, seremos gratos pelas palavras, pelas luzes e por Sua misericórdia.

(Autor não informado)

Busca Por Texto
Arquivo