A Força de Um Lar << voltar
autor: André Luiz publicação: 03/01/2016
artigo: A Força de Um Lar
Fonte:  

Nítida, nítida e integralmente perfeita a criação divina sob todas as formas. Mantivemo-nos em vida uterina, aconchegados, amparados, iluminados por uma força maior e múltipla, para que consigamos, através dos mundos, ingressar em outra atmosfera de forma suave e precisa. O que nos projetaram? O que teceram para nós? Cada qual é encaminhado para uma finalidade, dentro de um objetivo pré-estabelecido. Desta forma, entramos num lar, num ambiente desconhecido, envolvemo-nos com pessoas estranhas, desconhecidas por nós, ingressamos num mundo diferente, muitas vezes, abastecido de criaturas sem fé, sem meios de compreensão, sem seguimentos ou formação. Mas ingressamos num lar, numa família, ou seja, um grupo de pessoas que nos esperam com ansiedade e carinho, sabendo que estão recepcionando um ser querido e oriundo de outras esferas. O que esperam de um novo membro que se achega? Quais os comentários surgidos, o que anseiam para o novo membro?

Muitas são as aspirações, muitos são os projetos e algumas vezes fracas são as recepções, nenhuma é a vontade, para que aquele ser venha. Existem sempre duas razões para a chegada de um ser novo. Uma delas e de forma geral, é a felicidade que aponta para um novo lar, para uma complementação familiar, é a alegria que penetra de maneira luminosa em cada coração e no todo. Mas há formas de recepcionar estas criaturas, tristemente e com muita preocupação. Não devemos criticar ou julgar cada gesto, cada atitude. As vidas divergem, os caminhos se tumultuam e as rações variam. Só pedimos a Deus que propicie a cada espírito encarnante, a paz e o amor, que cada um seja provido do amparo de corações amigos e sinceros e que suas chegadas possam sempre trazer uma luz, uma harmonia maior a cada lar, a cada grupo reunido, devidamente unido, para um caminhar conjunto.

André Luiz

Busca Por Texto
Arquivo