Somos Criaturas Divinas << voltar
autor: Emmanuel publicação: 21/12/2002
artigo: Somos Criaturas Divinas

Amigos, irmãos, a luz do Criador sobre todos nós nos ajuda a vencer a nós mesmos, seria o pri­meiro sinal do nosso reco­nhecimento pela nossa cri­ação. Aprender a visuali­zar essa luz,a busca-la, a querer conviver com ela será já despertarmos para o nosso verdadeiro nasci­mento como Espírito.

O Pai, o Criador, o Deus, a Energia fluente e poderosa que articula to­das as fontes do Univer­so, a energia que nos traz o pensar, o viver e o cres­cimento precisa ser res­tabelecida a todos os ins­tantes, abastecida, e trazi­da a nós nos moldes, real­mente certos, moldes es­tes que circulam pelo Uni­verso e que, muitas vezes, distam de nossas percep­ções e alcance espiritual.

Talvez, meus amigos, perguntem­-se: como, envol­vidos nas atribuições do nosso viver, percebermos algo tão distante?

Sim, porque a luz do Pai e a Sua estruturação nos fogem ao alcance. Mas lhes diria somente uma coisa: ­ Como vive­mos e nos abastecemos, como pensamos, nos articulamos e possuímos o dom perceptivo, o dom da palavra, o dom das captações?

Como, se não for por uma excelente projeção de energias e abasteci­mento espiritual?

Naturalmente que, quando encarnados, esta­mos distantes das percep­ções e entendimentos mai­ores, como também de vas­ta intelectualidade e racio­cínio. Mas é muito fácil percebermos a Criativida­de. A Criação em sua tota­lidade nos beneficia com uma fartura de espécies, de aspectos fisionômicos, por exemplo, uma fartura de fórmulas e condições de dicção, percepções e sen­timentos. Imaginem a Cri­ação com bilhões, trilhões de almas e cada uma em suas características própri­as, sem que nenhum de nós seja igual ao outro!

A criatividade é imen­sa, absoluta e, por isso mesmo, achamos que deve­ria ser mais fácil o nosso entendimento com ela, a nossa ligação com esta Cri­ação. Mas como estagia­mos ainda em mundos pri­mários, só conseguimos atingir, podemos dizer, o que a nossa estatura espi­ritual nos permite. Mas queremos mais, não?

Queremos saber mais, ter mais paz, amor e compreensão, queremos os sofrimentos não tão pesados, não tão duros.

Queremos a vida a ser vivida em moldes mais fa­cilitados, não é isso?

Mas será que estamos contribuindo, realmente, para nos beneficiar?

Será que não esta­mos enclausurados den­tro de nós mesmos e com uma visão muito parca, sem querer ir um pouco mais longe?

Sim, porque, ao am­pliarmos conhecimentos, exigiremos mais de nós mesmos ou teremos que burlar um crescimento, valores, sentimentos e moral, não é verdade?

Pensemos nisto, ir­mãos, ponderemos sobre o desenvolvimento que nos é possibilitado.

Pensemos na qualidade de vida que temos hoje, não só a ma­terial, pois esta faz parte do nosso crescimento tam­bém, mas igualmente a espi­ritual. Cada um de nós ar­rebanha, materialmente, na Terra, o necessário para se articular mais em Espírito. Mas não podemos esque­cer que toda a matéria é temporária, e essa matéria densa poluída, mas neces­sária e plena ao nosso cres­cer, tem que ser vivida den­tro de um equilíbrio em percentuais, pois todos es­tes acúmulos ficam, e nós em matéria espiritual qui­tessenciada, mais sutil e dinâmica, é que permane­ceremos envoltos, justamente, em nossas observa­ções e ideais, percepções, sentimentos e valores.

Vamos alicerçar a nossa matéria fluídica, endossando as mensa­gens cristãs às quais pedimos exercitar, não obliterando a nossa visão com as falsas ilusões, não. Sejamos reais, meus irmãos, porque somente esta realidade nos sus­tentará na vida eterna.

Que vocês possam per­ceber a luz divina, o toque dos amigos espirituais, a intuição que lhes surge de repente na mente.

Que seja visualizada nestas pequenas luzes acolhidas por vocês, a sinali­zação que o Criador nos en­via a nos orientar os cami­nhos. Olhem para o Pai ao olharem um irmão.

Olhem para Jesus ao estenderem as suas mãos.

Vejam em cada alma as oportunidades de alimenta­rem alguém em corpo ou Espírito, como nosso Pai e Mestre fariam.

Olhem para si próprios nas irreverências e posturas daqueles que caminham com vocês e tentem dar a sua melhor parte para que con­sigam um mundo íntimo de paz e verdades.

E que Deus os ajude a ir em direção a Ele.

Fiquem com Ele!

Angela Coutinho

Busca Por Texto
Arquivo