Amizades << voltar
autor: Emmanuel publicação: 24/06/2019
mensagem: Amizades

Discorremos sempre sobre temas de vida, de encarnação e dos múltiplos aspectos que enlaçam as almas que ainda se encontram em vivenciações no mundo terreno, como, também, no espiritual.

Depois das muitas vivências em mundos e esferas de provações e rudezas, sabemos que as angústias que envolvem a todas as criaturas são as mesmas, que os medos e os sofrimentos, as incipiências e as qualidades se renovam, nem sempre os detendo em nosso íntimo, tornando-se mais fácil a nós nos embrenharmos nestas derivações de vida, de frequência espiritual, de vibrações e de energias, lançando a irmãos, ainda encarnados, algumas palavras de esclarecimento e reconforto.

Os enfoques são muitos a serem buscados, mas sempre procuramos pesquisar em cada mente, na frequência dos pensamentos, aquilo que transita no cotidiano do viver dos irmãos encarnados, assim, tentando acompanhar as necessidades e dificuldades, os questionamentos e lacunas, enfim, procurando suprir e ajudar a todos para que consigam lidar melhor com as problemáticas cármicas que vieram delinear, distendendo-as a cada oportunidade de comunicação.

Hoje, gostaríamos de distender-nos um pouco sobre a amizade. A amizade entre as criaturas, este relacionamento anímico que precisa ser profundo para ser real.

Ao nosso lado, diariamente, estão as criaturas que convivem conosco dentro de nosso lar, em nosso trabalho e no círculo de relacionamentos diante da sociedade na qual nos articulamos. Entretanto, em nosso lar estão aqueles Espíritos em necessidades cármicas maiores, a terem de conviver, mais intimamente, uns com os outros, digamos assim, precisando cada alma desfrutar de um relacionamento mais preciso e constante, para que possa atingir os objetivos traçados em planos espirituais. Muitas das almas que convivem conosco, tornando-se presentes por toda nossa existência e, por muitas vezes, por várias encarnações, trabalham e se exercitam, intimamente, objetivando as mesmas estradas, entretanto, algumas vêm buscar um alinhamento maior em moral ou em virtudes, envolvidas com os mesmos problemas, que surgem, por vezes, a gerar discussões e posturas mais conturbadas, exigindo, assim, cautela e paciência do grupo familiar, para que os burilamentos sejam executados dentro desta convivência necessária a cada desenvolvimento espiritual.

Em nosso trabalho, encontramos uma diversidade de personalidades e carismas.

Buscamos entre as criaturas que caminham nas tarefas, nas labutas, aquelas que mais se unem a nós, se identificando em sentimentos e objetivos, em idealismos e enfoques emocionais. Estas, também, servem de alavanca para o nosso caminhar, servem de abertura para que possamos enxergar mais adiante. Entretanto, em nosso esforço diário, encontramos criaturas tão unidas a nós em particularidades, em afinidades, que nos aliamos a elas como se fossem nossas irmãs.

Encontramos na amizade a aceitação, a podermos trazer à tona nossos problemas e dificuldades. Vemo-nos, de repente, conversando com uma pessoa sem termos vergonha e sem o menor constrangimento. Abrimos a nossa vida, não sabendo nem o porquê de fazermos isto, porém, sentindo um elo, uma força a unir almas, numa identificação muito grande. Encontramos aí um elo eterno de amizade, almas amigas que se propõem a estar junto a nós, a nos amparar e esclarecer, a nos criticar e mostrar o caminho certo, ou a pauta errada por onde estamos tentando fugir de ideais e objetivos maiores de vida, que nos possibilitem uma vivenciação com mais paz e harmonia.

Tanto na família quanto em nosso trabalho, poderemos deter, junto a nós, estes Espíritos tão ligados em sentimentos que a nós se fundem como almas amigas. Além da nossa família e do nosso trabalho, vivemos em coletividade dentro de um mundo onde nos possamos dedicar ao aprimoramento de nossa personalidade atual, embora muitos de nós nos recusemos a um aprofundamento maior em nós mesmos, talvez, por medo ou insegurança.

Quantos se identificam com irmãos mais presentes no exercício da Doutrina Cristã sem saber como, sem saber de onde estão captando esta afinidade em sentimentos e particularidades de vida!

Isto, meus irmãos, é a energia de cada um de nós, digamos assim, combinando com uma outra energia que vibra, em uníssono, quando junto a nós. As almas se modificam em aspectos fisionômicos a cada encarnação, mas todas detêm o mesmo enfoque espiritual, a mesma individualidade. Transitamos todos no mundo espiritual de tempos em tempos. Encontramo-nos e nos trazemos sob colaborações mútuas. Quando retornamos a plano físico material, estes resquícios de afinidade permanecem conosco, nos trazendo as similaridades em personalidade, como, também, as afinidades em sentimentos, objetivos e ideais.

Quantos de vocês se encontram nas ruas ou em algum ambiente com criaturas e sentem uma simpatia e afinidade e não sabem o por quê. O que acontece nestes encontros é que a vivência eterna, latente em cada alma, aflora a cada instante de relacionamento físico, através dos campos de maior sensibilidade.

Todas as criaturas, que se intercomunicam, ligando-se nos mesmos objetivos de fé, buscam um engrandecimento às suas almas, abastecendo-se, na força desta fé, com a energia dos planos superiores a que se ligam, trazendo a si o pão espiritual nestes momentos de intercâmbio entre o plano terreno e espiritual. Em todos estes instantes, as ligações favorecem, também, a criaturas que abaladas estão nos seus físicos e Espíritos, precisando de um fortalecimento maior.  

Este momento, de idealismo maior, é o certo para nos unirmos aos amigos espirituais e irmãos terrenos. A Espiritualidade dedica tempo e carinho, o que tem de mais profundo e belo, às almas encarnadas. Por isso, quando lhes falo em amizade, não devemos enfocar somente a amizade no plano terreno, não, devemos pensar na amizade entre irmãos encarnados com aqueles que já vivenciam em corpo espiritual, pois, embora não as estejamos vendo, elas, também, participam de nossa vida, trazendo-nos, sempre que possível complementos necessários a cada vivência nossa.

Irmãos, todos nos ligamos muito em vida espiritual e é nela, e sempre será na vida espiritual, que nos iremos ver, amplamente, abrir nossos corações, tentar dilatar aquilo que trouxemos de um plano terreno difícil e laborioso. Cultivemos as amizades, façamos amizades, procurando olhar o irmão que está ao lado e aceitando-o como é, vendo se ele precisa de um apoio ou ajuda, permitindo-nos contemplá-lo com mais carinho e compreensão, criando, assim, elos cada vez mais fortes entre os filhos do Criador.  

Que cada um de nós saiba valorizar, na vida presente e na futura, uma amizade, dedicando mais carinho e atenção àqueles que estão ao nosso lado, pois não vivemos sós, precisamos uns dos outros, amparamo-nos uns nos outros, buscamos sempre em alguém ao nosso lado uma palavra, um conforto, um apoio, em momentos de angústias maiores.

Que Deus esteja com todos nós!

Emmanuel

Busca Por Texto
Arquivo