Viscos nos Entorpecem << voltar
autor: Henrique Karroiz publicação: 01/11/2019
mensagem: Viscos nos Entorpecem

Amigos, precisamos ficar atentos sobre o quanto as viscosidades da vaidade, da falta de penetração nas almas irmãs, na indiferença por uma produção conjunta e sem interesses, nos oculta a observação dos reais valores e intenções das almas, encarnadas e desencarnadas.

O valor de um trabalho e da atuação de cada irmão nesta caminhada se dará se houver uma verdadeira e autêntica posição de participantes, realmente, como sendo todos nós aprendizes abertos a acolherem os ensinamentos nos envolvimentos com as dificuldades e nas lições que a vida nos dá.

Para que nos utilizemos dos nossos potenciais, é necessário que haja veracidade nas nossas colocações diárias, pois cada trabalho exercido nesta vida será acolhido se tivermos lisura nas intenções, permitindo que o crescimento se dê.

Irmãos, os viscos sempre nos tentarão atingir, a não ser que estejamos unidos e vendo além das complementações momentâneas, permitindo-nos distender, em nossa pequena percepção, um pouco além dos momentos atuais, onde muitos tentam resolver problemas básicos do cotidiano perscrutando o "além" ou mesmo tentando alicerçar-se, sobremaneira, sob alguns traços de poder, buscando benefícios maiores a si mesmos, com bases em vaidades e orgulhos.

Busquemos alicerçar o que Deus nos permite distender, usando da largueza de intenções e não permitindo um envolvimento negativo e egoísta, a querermos colher só para nós, em proveito próprio, nos esquecendo de que todos que se trazem sob impactos e manipulações físicas ou mentais mais dolorosas precisam se olhar mais profundamente, permitindo que as mensagens de Jesus e Suas verdades lhes toquem mais profundamente, permitindo-se crescer na luz misericordiosa do Mestre Nazareno.

A ilusão dos momentos atuais, a falta de percepção e as intenções impuras nos poderão tirar dos caminhos certos. Porém, se atingirmos condições de discernimento na observância dos fatos alicerçados na intuição que retemos na alma, sentiremos o quanto a Espiritualidade atua de forma desinteressada, procurando repassar os moldes certos a que estejamos preparados a construirmos um mundo melhor dentro de nós mesmos.

Sim, distantes dos egoísmos da matéria e longe das ilusões dos momentos atuais, já visualizando em maior profundidade o que foi vivido e buscando os alicerces da ciência espiritual que nos ativa os valores da alma, a plenitude em amor, a luz da razão e a força da fé, despojando-nos de vaidades e obtenções falsas, permitindo-nos alastrar em doações plenas, estaremos visando ao nosso crescimento, como também, a iluminação de almas irmãs. Neste despojamento, irmãos, nos iremos defrontar com muitas criaturas que crescerão na mesma labuta em busca de seu próprio equilíbrio e paz.

Vamos derrubar as paredes que nos separam das verdades, instruindo-nos em Espírito a proporcionar, também, ao próprio mundo atual, um crescimento a que se possa tornar um campo fértil de luz, amor e paz.

Assim, é importante que tenhamos em mente que nosso crescimento só se dará dentro de verdades, de desprendimento em caridade e em doação de amor.

Cada um de nós precisa passar pela desorganização íntima a atingir a vontade de retermos equilíbrio e paz, por esta razão é que precisamos ficar abertos o suficiente, espiritualmente, a nos defrontarmos com as verdades infinitas.

Não nos podemos subtrair da luz da razão, dando-nos condições de a alicerçarmos com prontas bases de intuições e percepções.

Razão e fé, sensibilidade e amor, justiça e clareza, verdade e luz são as tarjas do ideal do Mensageiro Divino Jesus.

Henrique Karroiz

Busca Por Texto
Arquivo