Os Caminhos da Real Doutrina - Parte II << voltar
autor: Henrique Karroiz publicação: 29/11/2019
mensagem: Os Caminhos da Real Doutrina - Parte II

Queridos irmãos, sempre é preciso trazer a Jornada Cristã à tona, à visualização em nossos dias e em todos os momentos da lida terrena, porque temos, em constantes movimentações, o intenso volume das chamativas do mundo material e, além disto, as chamativas ainda pequeninas de nossas almas, que, em processo evolutivo, precisam de muita luz e esclarecimentos, da verdadeira prática cristã. A abertura cristã caminha há séculos, mas o volume de desacordos espirituais cresce a cada vivenciação e nos permitimos "acidular" nos parques primaveris, onde os "brinquedos" ilusórios e inúteis ostentam a coroa de liderança de nossas vidas. Não é assim?

Realmente, portamo-nos como crianças a nos iludir entre as falcatruas e lidas inúteis, quando deixamos o tempo de vida escorrer entre os instantes de ebulições em noites vazias; entre as paredes de nossos lares, nas ilusões dos manuseios de tarefas inúteis; ao brincarmos com o poder econômico e nos "lambusarmos" nas posturas excessivas, onde os corpos são pintados; onde as vestimentas são ornadas a atraírem olhares a especularem uma sexualidade aparente; onde as pautas cristãs se misturam às exigências dos templos criadores de atos e versículos de interesses materiais.

Assim, sendo primorosas obras, lembremos de que não somos os únicos, apenas expomos uma das maravilhas da Criação Divina. Por isso, em crescimento e evolução estamos e precisamos buscar o entendimento maior, uma abertura e penetração no mundo da Criatividade Divina.

Busquemos a liberdade espiritual, não sob títulos, dogmas, carismas ou frequências exorbitantes, mas sim, usemos de simplicidade no viver, na amplitude que desejamos absorver diante das verdades, da moral, da fé, nesta multiplicidade de convivências. Estas ânsias todos temos e precisamos buscar cada vez mais.

Não nos intitulemos católicos, espíritas, protestantes, judeus; intitulemo-nos cristãos, amantes da Doutrina do Cristo, cooperadores desta seara, desta irmandade de sentimentos e vivências. Os caminhos da real doutrina devem ser buscados à semelhança dos caminhos percorridos por Jesus. Usemos das sandálias do divino pescador de almas e saibamos caminhar pelas estradas da simplicidade, da humildade e da caridade, utilizando-nos dos verbetes que nos trazem os diversos ensinamentos, atuando como Ele atuaria se aqui estivesse em nosso lugar, participando dos encontros irmãos com mais condescendência e fraternidade.

Amigos, o mundo precisa de paz, de respeito e de lisura moral. Mas como adquirir este patamar tão nobre e límpido se a nossa vontade e vaidade nos estão impondo ainda um caminhar entre as ilusões desta matéria, a qual iremos deixar no fundo das urnas funerárias. Como sair destas engrenagens febris que envolvem as criaturas diante das chamativas ilusórias dos veículos abusivos e falsos das comunicações?

Lembremo-nos de que a Doutrina de Jesus é universal, caminha por todo o Universo, é pauta que se impõe a todas as naturezas e nela nos precisamos pautar se desejamos seguir por caminhos de luz, verdades e amor.

O que pensará, então, o Mestre de nós?

Henrique Karroiz

Busca Por Texto
Arquivo